Galeria

03/07/2011

Sérgio Santos convida Chico Pinheiro e Serginho Silva

Próximos Eventos

1
2
7
4
6
5
3
?1468001446

Domingo no Museu

Leva para o palco do Museu de Arte da Pampulha grandes nomes da música mineira e brasileira, como Paulo César Pinheiro, Sérgio Santos, Vânia Bastos, Teresa Cristina, Fabiana Cozza, Juarez Moreira, entre outros, mesclando MPB, samba e a musica instrumental. O Projeto acontece sempre no primeiro domingo do mês, às 11h00, no auditório do MAP com ingressos a preços populares.

Sérgio Santos convida Chico Pinheiro e Serginho Silva 03/07/2011

48

Dia 03 de Julho as 11 horas no Museu de Arte da Pampulha. Ingressos antecipados a venda no Museo e na Acústica CD´s, rua Fernandes Tourinho, 300, Funcionários, a partir de 27/6.

Informações 31 - 32777996

 

SÉRGIO SANTOS NO DOMINGO NO MUSEU DE JULHO

Artista mineiro respeitado em todo o mundo, o cantor e compositor Sérgio Santos é a atração de julho do projeto Domingo no Museu. No dia 03, às 11 horas , ele faz única apresentação no Museu de Arte da Pampulha.

Neste show de sofisticação e bom gosto, Sérgio se apresenta ao lado do excelente compositor e guitarrista paulista Chico Pinheiro e do percussionista Serginho Silva, um dos mais completos músicos do cenário de Minas e do Brasil. É a primeira vez que o trio se apresenta junto, apesar de toda a afinidade musical entre eles.

Sérgio e Chico já dividiram o palco. Amigos e parceiros, os dois chegam ao auditório do MAP depois de lançamentos muito bem sucedidos. Sérgio Santos recebeu críticas elogiosas no país e no exterior do CD "Litoral e Interior", que tem participações de Mônica Salmaso e Dori Caymmi e lhe valeu uma indicação ao Grammy como melhor canção brasileira. Chico Pinheiro confirmou seu nome no cenário jazzístico europeu e americano com o álbum "Flor de Fogo", com participações de Dianne Reeves e Bob Mintzer. O CD ficou em várias relações de melhores de 2010 e vem garantindo apresentações em diversos países.

O projeto é uma realização da Veredas Produções e conta com o patrocínio da Tecnocal através da Lei Estadual de Incentivo à  Cultura, sempre com o objetivo de apresentar boa música ao público que passou a utilizar cada vez mais o Museu como espaço de lazer e cultura.
Os ingressos custam R$ 10,00 e podem ser comprados no Museu e na loja Acústica CD´s a partir do dia 27 de junho, com a renda revertida para a conservação do Museu.

Um pouco de história:

Sérgio Santos

Sérgio Santos é compositor, violonista, cantor, arranjador e produtor. Tem 6 CDs gravados. O primeiro, Aboio, foi indicado ao Prêmio Sharp, e o terceiro, Áfrico, eleito como o melhor CD de 2002 no Prêmio Rival-Petrobras. De seus discos participaram artistas como Lenine, Joyce, Dori Caymmi, Leila Pinheiro, Francis Hime, Raphael Rabello, Sivuca e Mônica Salmaso, entre outros.

É parceiro em mais de 200 músicas de Paulo César Pinheiro e foi gravado por Leila Pinheiro, Alcione, Olívia Hime e Milton Nascimento. Desde 1999 se apresenta internacionalmente em locais como o Hollywood Bowl ,em Los Angeles (um dos palcos mais importantes do mundo); no Hesbst Theater, em San Francisco e no Spoleto USA Jazz Festival em Charleston. Já fez shows na Espanha, Itália, Alemanha, Argentina e Uruguai. Participou como solista convidado por Francis Hime da Orquestra Sinfonia do Rio de Janeiro, se apresentando no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e na sede da Unesco em Paris.
 
Chico Pinheiro
 
Considerado um dos artistas mais expressivos da música brasileira contemporânea, o guitarrista, compositor e arranjador Chico Pinheiro nasceu em São Paulo. Autodidata, começou tocando violão e piano aos 7 anos de idade e passou a atuar profissionalmente aos 15 anos.

Formado pela Berklee College of Music, em Boston, Chico é hoje celebrado como excepcional instrumentista e compositor único, de extrema originalidade e maturidade.
Seus CDs “Meia Noite Meio Dia” (2003), “Chico Pinheiro” (2005) e "Nova" (2007) foram incluídos nas listas de melhores do ano dos principais jornais do país, além de receber críticas extremamente positivas na Europa. 

Chico foi o único artista brasileiro solo a se apresentar no palco Jazz do TIM Festival, de 2005, ao lado de Brad Mehldau, Nancy Wilson, Dave Holland e Birelli Lagrene. 
Seu quarto disco, 'There's a Storm Inside' (saiu com o título 'Flor de Fogo' no Brasil), foi lançado em 35 países, obtendo uma repercussão extraordinária no mundo todo. Foi eleito entre os melhores CDs do ano pelas revistas Downbeat, Veja e Revista Rolling Stone ( nas categorias 'melhor disco' e 'melhor música', com 'There's a storm inside' e 'Recriando a criação'), e nos jornais Estadão e Folha .

Foi também contemplado com os prêmios Best Brazilian Jazz Álbum of the year, Best Latin Jazz Guitarist of 2010 e Best Latin Jazz Composition of 2010 por 'Sertão Wi Fi', no Portal Latin Jazz Corner - USA. 

Aos 35 anos, Chico já dividiu projetos, gravações e apresentações com Rosa Passos, Luciana Souza, Dori e Danilo Caymmi, Chico César, Cesar Camargo Mariano, João Donato, Johnny Alf, Cachaíto Lopez (Buena Vista Social Club), Bob Mintzer, Dianne Reeves, Eddie Gomez, Claudio Roditi, Fleurine, Brad Mehldau, Mark Turner, Chris Potter, Esperanza Spalding, Duduka da Fonseca, entre outros.

Entre seus parceiros de canções estão Chico César, Aldir Blanc, Maysa, Paulo César Pinheiro, José Miguel Wisnik, Guile Wisnik e Paulo Neves.


Serginho Silva

Músico percussionista, iniciou sua carreira em 1982, atuando nas noites de Belo Horizonte e é o atual Professor de Percussão da Universidade Livre de Música Popular Bituca, em Barbacena.

Já viajou com Titane, Weber Lopes e Gilvan de Oliveira, para França, a Itália, a Lituânia e a Alemanha. Tocou com  Balet Movimento na Bélgica, França e Espanha e no Festival de Dança e Música do Canadá, nas cidades de Toronto, Quebec, Montreal e Drummondville.

Com o Grupo Ponto de Partida foi ao Festival de Teatro em Gurlitz, na Alemanha e tocou com Milton Nascimento e Ponto de Partida no Brasil e na França. Entre os artistas que costumam requistar seus valiosos serviços estão Beto Guedes, Waldir Silva, Maurício Tizumba, Sérgio Moreira, Gilvan de Oliveira, Paulinho Pedra Azul e outros.

Participou de diversas trilhas sonoras para cinema e de concorridas workshops, incluindo a do guitarrista americano Al Di Meola.