Galeria

05/06/2011

Cida Moreira

Próximos Eventos

1
7
2
4
6
5
3
?1468001446

Domingo no Museu

Leva para o palco do Museu de Arte da Pampulha grandes nomes da música mineira e brasileira, como Paulo César Pinheiro, Sérgio Santos, Vânia Bastos, Teresa Cristina, Fabiana Cozza, Juarez Moreira, entre outros, mesclando MPB, samba e a musica instrumental. O Projeto acontece sempre no primeiro domingo do mês, às 11h00, no auditório do MAP com ingressos a preços populares.

Cida Moreira 05/06/2011

46

 

CIDA MOREIRA LANÇA NOVO CD “A DAMA INDIGNA” NO PALCO DO MUSEU DE ARTE
Depois do retumbante sucesso de Bob Tostes e Marcelo Gaz em maio, o projeto Domingo no Museu traz ao Museu de Arte da Pampulha a cantora, pianista e atriz paulista Cida Moreira, uma das maiores intérpretes da música popular brasileira. Ela faz uma única apresentação, às 11 horas da manhã do dia 05 de junho.
O show "A Dama Indigna", que estreou em fevereiro no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, marca o lançamento do 10 º disco da carreira de Cida. 
Quem conhece o poder da cantora de reler clássicos nacionais e internacionais como se fossem feitos para ela, já vai reservar o ingresso. O roteiro, de 16 músicas, vai desde o mega hit "Back to Black (Amy Winehouse)"  ao rock "Sympathy for The Devil", dos Rolling Stones, com paradas pela tropicalista "Hotel das Estrelas" (Macalé e Duda), o protesto de Gonzaguinha ("Palavras"), " Uma Canção Desnaturada", de Chico Buarque, e  dois standards dos irmãos Gershwin, "Summertime" e "The Man I Love". Mas tem mais: tangos de Kurt Weill e Tom Waits, a dolência quase sertaneja de "O Ciúme", de Caetano Veloso, o "Soul Love" de David Bowie e outras ousadias.
O projeto é uma realização da Veredas Produções e conta com o patrocínio da Tecnocal através da Lei Estadual de Incentivo à  Cultura, sempre com o objetivo de apresentar boa música ao público que passou a utilizar cada vez mais o Museu como espaço de lazer e cultura.
Os ingressos custam R$ 10,00 e podem ser comprados no Museu e na loja Acústica CD´s a partir do dia 30 de maio, com a renda revertida para a conservação do Museu.
ABOLERADO BLUES
Cida Moreira começou a estudar piano na infância, e logo passou a atuar como cantora, em programas de rádio. Ainda adolescente, mudou com a família para Londrina (Paraná) e, de volta a São Paulo, concluiu o curso de Psicologia. Exerceu pouco a profissão. O talento para a música e para o teatro foi mais importante.
No final dos anos 70, já cantora e atriz, é convidada a integrar o grupo teatral Ornitorrinco, em peça com músicas de Brecht e Weill. 
O LP Summertime (1981), com clássicos de jazz e blues e a versão censurada de Geni e o Zepelim, de Chico Buarque, se tornou um clássico instantâneo. CIDA passou a ser referência de cantora que interpreta suas canções como diálogos teatrais, demonstrando paixão avassaladora e um poder de interpretação que se confirmou nos discos seguintes: Abolerado Blues (1983); Cida Moreira (1983); Cida Moreira interpreta Brecht (1988); Cida Moreira canta Chico Buarque (1993); Na Trilha do Cinema (1997) e Uma Canção pelo Ar... (2003). 
A função  de atriz continuou com trabalhos para o cinema, como o premiado "O Olho Mágico do Amor (1998, de José Antonio Garcia) e "Vila Belmiro" (2003, de Gilson Santos) e para a TV  (Estrela Guia, 2001, TV Globo). E o talento duplo de atriz e cantora foi bem aproveitado em espetáculos musicais (Bilbao Cabaret (1989), com direção de José Possi Neto) e Porter à Porter (1990, dirigido por Sergio Mamberti).
Sobre o título do show que os mineiros vão assistir no Museu de Arte da Pampulha, CIDA esclarece: "A dama indigna é uma metáfora. Poética, mítica e teatral. Um poema de Marcelo Fonseca que ao me ouvir cantar um dia, me chamou de dama indigna, e eu me senti presenteada duplamente, pelo lindo poema e pelo encontro delicado com uma linguagem que me define bem, pois a dama se torna indigna ao exercer sem pudores sua dignidade na arte: propósito da vida. Graças a um pouco de loucura, muito de lucidez... e todas as canções passeiam por este caminho, que sempre me leva de volta a mim... menina com seu piano ".
SERVIÇO:
Domingo no Museu
Cida Moreira – lançamento do CD “A Dama Indigna” 
Local: Museu de Arte da Pampulha (Av. Otacílio Negrão de Lima, 16585)
Data: dia 5 de Junho - domingo
Horário: 11 horas
Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada)
Ingressos a venda no Museu e na loja Acústica CD´s – Rua Fernandes Tourinho nº 300.
Informações: 3277 7996

 

CIDA MOREIRA LANÇA NOVO CD “A DAMA INDIGNA” NO PALCO DO MUSEU DE ARTEDepois do retumbante sucesso de Bob Tostes e Marcelo Gaz em maio, o projeto Domingo no Museu traz ao Museu de Arte da Pampulha a cantora, pianista e atriz paulista Cida Moreira, uma das maiores intérpretes da música popular brasileira. Ela faz uma única apresentação, às 11 horas da manhã do dia 05 de junho.

 

O show "A Dama Indigna", que estreou em fevereiro no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, marca o lançamento do 10 º disco da carreira de Cida.

 

Quem conhece o poder da cantora de reler clássicos nacionais e internacionais como se fossem feitos para ela, já vai reservar o ingresso. O roteiro, de 16 músicas, vai desde o mega hit "Back to Black (Amy Winehouse)"  ao rock "Sympathy for The Devil", dos Rolling Stones, com paradas pela tropicalista "Hotel das Estrelas" (Macalé e Duda), o protesto de Gonzaguinha ("Palavras"), " Uma Canção Desnaturada", de Chico Buarque, e  dois standards dos irmãos Gershwin, "Summertime" e "The Man I Love". Mas tem mais: tangos de Kurt Weill e Tom Waits, a dolência quase sertaneja de "O Ciúme", de Caetano Veloso, o "Soul Love" de David Bowie e outras ousadias.

 

O projeto é uma realização da Veredas Produções e conta com o patrocínio da Tecnocal através da Lei Estadual de Incentivo à  Cultura, sempre com o objetivo de apresentar boa música ao público que passou a utilizar cada vez mais o Museu como espaço de lazer e cultura.

 

Os ingressos custam R$ 10,00 e podem ser comprados no Museu e na loja Acústica CD´s a partir do dia 30 de maio, com a renda revertida para a conservação do Museu.

 

ABOLERADO BLUES
Cida Moreira começou a estudar piano na infância, e logo passou a atuar como cantora, em programas de rádio. Ainda adolescente, mudou com a família para Londrina (Paraná) e, de volta a São Paulo, concluiu o curso de Psicologia. Exerceu pouco a profissão. O talento para a música e para o teatro foi mais importante.

 

No final dos anos 70, já cantora e atriz, é convidada a integrar o grupo teatral Ornitorrinco, em peça com músicas de Brecht e Weill. O LP Summertime (1981), com clássicos de jazz e blues e a versão censurada de Geni e o Zepelim, de Chico Buarque, se tornou um clássico instantâneo. CIDA passou a ser referência de cantora que interpreta suas canções como diálogos teatrais, demonstrando paixão avassaladora e um poder de interpretação que se confirmou nos discos seguintes: Abolerado Blues (1983); Cida Moreira (1983); Cida Moreira interpreta Brecht (1988); Cida Moreira canta Chico Buarque (1993); Na Trilha do Cinema (1997) e Uma Canção pelo Ar... (2003).

 

A função  de atriz continuou com trabalhos para o cinema, como o premiado "O Olho Mágico do Amor (1998, de José Antonio Garcia) e "Vila Belmiro" (2003, de Gilson Santos) e para a TV (Estrela Guia, 2001, TV Globo). E o talento duplo de atriz e cantora foi bem aproveitado em espetáculos musicais (Bilbao Cabaret (1989), com direção de José Possi Neto) e Porter à Porter (1990, dirigido por Sergio Mamberti).

 

Sobre o título do show que os mineiros vão assistir no Museu de Arte da Pampulha, CIDA esclarece: "A dama indigna é uma metáfora. Poética, mítica e teatral. Um poema de Marcelo Fonseca que ao me ouvir cantar um dia, me chamou de dama indigna, e eu me senti presenteada duplamente, pelo lindo poema e pelo encontro delicado com uma linguagem que me define bem, pois a dama se torna indigna ao exercer sem pudores sua dignidade na arte: propósito da vida. Graças a um pouco de loucura, muito de lucidez... e todas as canções passeiam por este caminho, que sempre me leva de volta a mim... menina com seu piano ".

SERVIÇO:Domingo no MuseuCida Moreira – lançamento do CD “A Dama Indigna” 

Local: Museu de Arte da Pampulha (Av. Otacílio Negrão de Lima, 16585)

Data: dia 5 de Junho - domingo

Horário: 11 horas

Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada)

Ingressos a venda no Museu e na loja Acústica CD´s – Rua Fernandes Tourinho nº 300.

Informações: 3277 7996