Galeria

27/09/2010

Mario Adnet e Zé Nogueira

Próximos Eventos

1
2
7
4
6
5
3
?1468001446

BH Instrumental

Nos anos 1997/98 a VEREDAS realizou com muito sucesso de público e crítica a “Série Instrumental”, projeto que trouxe pela primeira vez a Belo Horizonte grandes nomes do jazz como John Anderson, Paquito D´Rivera, Gonzalo Rubalcaba, Mike Stern, Joe Zawinul, e também grandes nomes da Música Instrumental Brasileira como Paulo Moura, Zimbo Trio, Guinga, Gilson Peranzzetta, César Camargo Mariano e Romero Lubambo e abriu espaço para grandes músicos mineiros como Juarez Moreira, Toninho Horta, Wagner Tiso, Chiquito Braga e muitos outros mais.
Em 2008, a “Série Instrumental” retornou ao cenário musical da cidade trazendo uma série de 9 espetáculos, sendo 4 no Teatro do Sesiminas – (BANDA MANTIQUEIRA, LEO GANDELMAN, RENATO BORGHETTI e BARBATUQUES), 2 do Grande Teatro do Palácio das Artes (JOBIM JAZZ e WAGNER TISO) e um espetáculo ao ar livre na Praça Marechal Floriano (CHICO AMARAL, JUAREZ MOREIRA E NIVALDO ORNELAS).
A cada edição foi oferecido um workshop gratuito aos músicos e estudantes de música da Grande Belo Horizonte e um ensaio aberto para estudantes da rede pública.
A partir de 2011, a Série Instrumental traz a “ SÉRIE BH INSTRUMENTAL”, com espetáculos na Praça Floriano Peixoto.
O projeto busca assim divulgar a música instrumental trazendo ao palco grandes instrumentistas com o objetivo de formar público para música e popularizar o acesso a espetáculos de qualidade desenvolvendo assim a consciência crítica dos cidadãos. Apoio Institucional: Instituto UNIMED-BH, com os benefícios da Lei Federal de Incentivo à Cultura através de doações de pessoas físicas.

Mario Adnet e Zé Nogueira 27/09/2010

32

BANDA OURO NEGRO TRAZ A MÚSICA DE MOACIR SANTOS A BELO HORIZONTE

 

Projeto Série BH Instrumental volta no mês de setembro tendo como atração a banda Ouro Negro, fundada por Mario Adnet e Zé Nogueira

 

O projeto Série BH Instrumental traz à capital mineira, nos dias 27 e 28 de setembro a Banda Ouro Negro criada em 2001 por Mario Adnet e Zé Nogueira para interpretar as canções e arranjos do grande compositor Moacir Santos. As apresentações deste espetáculo  inédito em Belo Horizonte acontecerão no Grande Teatro do Palácio das Artes.

A Série BH Instrumental é uma realização da Veredas Produções com o apoio institucional do Instituto Unimed-BH por meio de doações de pessoas físicas e conta com o apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

No repertório das duas apresentações estão músicas de Moacir, além de parcerias dele com outros músicos, reunidas por Adnet e Nogueira nos discos Ouro Negro e Choros & Alegria (este de 2005).

O grande formato do grupo foi pensado em função das exigências da música de Moacir Santos e baseado na formação usada por ele em seu primeiro disco, Coisas, de 1965. Uma seleção de mestres sobe ao palco do Palácio das Artes: Mario Adnet (violão e direção musical), Ricardo Silveira (guitarra), Jorge Helder (contrabaixo), Marcos Nimrichter (piano acústico e elétrico), Armando Marçal (percussão), Jurim Moreira (bateria), Andrea Ernest Dias (flautas), Zé Nogueira (sax soprano e produção musical), Levi Chaves (clarinete e sax alto), Marcelo Martins (sax tenor e flauta), Henrique Band (sax barítono e flauta), Jessé Sadoc (trompete e flugelhorn), Philip Doyle (trompa), Everson Moraes (trombone) e Gilberto Oliveira (trombone baixo).

A banda Ouro Negro já realizou diversos shows no Rio, São Paulo e Brasília, incluindo apresentações no extinto Free Jazz Festival. Participou do projeto dos 50 anos da Bossa Nova, em 2008, em uma grande homenagem a João Donato, acompanhando Bebel Gilberto, Adriana Calcanhotto, Roberta Sá, Fernanda Takai, Marcelo Camelo e Marcelo D2, além do próprio homenageado, em shows no Rio e em São Paulo.

Em 2004, o trompetista e compositor americano Wynton Marsalis escutou pela primeira vez o disco Ouro Negro que havia sido lançado três anos antes. Desde a primeira audição, Marsalis não escondia seu desejo de viabilizar esse show nos Estados Unidos. Atualmente no cargo de diretor artístico do projeto Jazz at Lincoln Center, Marsalis recebeu o grupo na lendária casa de shows para duas apresentações (nos dias 28 e 29 de maio) no Rose Theater, que integra o complexo artístico Lincoln Center, em Nova York. A direção musical do concerto foi de Mario Adnet (violão) e a produção musical, de Zé Nogueira (sax soprano).

 

Em 2005, a banda gravou o DVD Ouro Negro e o CD de inéditas  Choros & Alegria, que contou com a participação de Wynton Marsalis.

 

O PROJETO

 

A Série BH Instrumental é o nome que a já conhecida Série Instrumental passou a assumir em 2009. A mudança não afeta a essência do projeto, que, realizado nos anos de 1997, 1998 e 2008, pela Veredas Produções, já trouxe a Belo Horizonte um rol extenso de importantes artistas que se dedicam à música instrumental, em shows de altíssima qualidade, com completa infra-estrutura e ingressos acessíveis.  

 

INSTITUTO UNIMED-BH

O Instituto Unimed-BH é uma instituição sem fins lucrativos, criada em 2003, que tem como missão conduzir o programa de Responsabilidade Social da Unimed-BH, contribuindo para a melhoria consciente e continuada da qualidade de vida das comunidades onde ela atua.

Como o referencial adotado é a promoção de vidas saudáveis, os projetos do Instituto têm na saúde sua área prioritária de intervenções, mas mantêm interface com outros campos, como a educação, cultura, lazer e capacitação profissional. Além de sua atuação social, o Instituto Unimed-BH busca fortalecer a cultura em Minas Gerais, apoiando projetos artísticos, através de seu programa de incentivo, amparado na Lei Rouanet.

 

 

PROJETO SÉRIE BH INSTRUMENTAL

Banda Ouro Negro

Grande Teatro do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro)

Dias 27 e 28 de setembro , às 21h

Ingressos: R$ 30,00 Setor I e II e R$ 20,00 – Balcão 

Meia-entrada: menores de 21 de anos, maiores de 60 anos e estudantes

Informações- 3236 7300