Próximos Eventos

1
7
2
4
6
5
3
?1468001446

BH Instrumental

Nos anos 1997/98 a VEREDAS realizou com muito sucesso de público e crítica a “Série Instrumental”, projeto que trouxe pela primeira vez a Belo Horizonte grandes nomes do jazz como John Anderson, Paquito D´Rivera, Gonzalo Rubalcaba, Mike Stern, Joe Zawinul, e também grandes nomes da Música Instrumental Brasileira como Paulo Moura, Zimbo Trio, Guinga, Gilson Peranzzetta, César Camargo Mariano e Romero Lubambo e abriu espaço para grandes músicos mineiros como Juarez Moreira, Toninho Horta, Wagner Tiso, Chiquito Braga e muitos outros mais.
Em 2008, a “Série Instrumental” retornou ao cenário musical da cidade trazendo uma série de 9 espetáculos, sendo 4 no Teatro do Sesiminas – (BANDA MANTIQUEIRA, LEO GANDELMAN, RENATO BORGHETTI e BARBATUQUES), 2 do Grande Teatro do Palácio das Artes (JOBIM JAZZ e WAGNER TISO) e um espetáculo ao ar livre na Praça Marechal Floriano (CHICO AMARAL, JUAREZ MOREIRA E NIVALDO ORNELAS).
A cada edição foi oferecido um workshop gratuito aos músicos e estudantes de música da Grande Belo Horizonte e um ensaio aberto para estudantes da rede pública.
A partir de 2011, a Série Instrumental traz a “ SÉRIE BH INSTRUMENTAL”, com espetáculos na Praça Floriano Peixoto.
O projeto busca assim divulgar a música instrumental trazendo ao palco grandes instrumentistas com o objetivo de formar público para música e popularizar o acesso a espetáculos de qualidade desenvolvendo assim a consciência crítica dos cidadãos. Apoio Institucional: Instituto UNIMED-BH, com os benefícios da Lei Federal de Incentivo à Cultura através de doações de pessoas físicas.

Armandinho 22/05/2009

21

BH INSTRUMENTAL RECEBE ARMANDINHO

Guitarrista e compositor baiano apresenta na capital no próximo dia 22, para comemorar 45 anos de carreira

A edição de maio do projeto BH Instrumental – que acontece no dia 22, sexta-feira, às 20h, na Praça Floriano Peixoto, em Santa Efigênia, promete ser uma grande festa. A atração escalada é o guitarrista e compositor baiano Armandinho, que tem no DNA o suingue, o amor e a dedicação à guitarra. É filho de Osmar, aquele que, junto com o parceiro, Dodô, foi o inventor do trio elétrico. O BH Instrumental é uma realização da Veredas Produções com o apoio institucional do Instituto Cidadania Unimed-BH através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Além de trazer para Belo Horizonte um dos mais consistentes guitarristas do país, um artista cuja trajetória enriquece a música instrumental brasileira, a apresentação tem clima ainda mais festivo porque Armandinho chega a Belo Horizonte num momento extremamente especial. Este ano ele comemora nada menos que os 45 anos de uma carreira que iniciou muito precocemente, quando era um garoto de apenas 10 anos e passou a puxar a versão mirim do trio elétrico de Dodô e Osmar.

No BH Instrumental, Armandinho vai apresentar o espetáculo Bandolim e Guitarra Baiana, em que opta por um repertório eclético, quase um panorama de sua carreira, desde o trabalho mais recente – o disco “Pop Choro” – passando por outros pontos determinantes de sua história, sem esquecer, no entanto, das parcerias – por exemplo, Sivuca, em “Forró Bachiano”, e Pepeu Gomes, em “Sarajevo”. O show ainda inclui pérolas do cancioneiro popular, entre elas “Noites Cariocas” (Jacob do Bandolim), “Brasileirinho” (Waldir Azevedo) e Luis Brasil (Pororocas).

Armandinho se reveza entre bandolim e guitarra baiana e, com propriedade, passeia pelo choro, pelo samba-reggae, pelo frevo e outros ritmos brasileiros.

O ARTISTA

Desde o começo de sua carreira em 1964, no trio elétrico mirim de Dodô e Osmar, até agora, Armando da Costa Macedo, o Armandinho, já trilhou um longo e frutífero caminho. Em carreira solo, lançou dez discos, sendo “Pop Choro” o mais recente. Junto com o grupo A Cor do Som, do qual foi um dos fundadores, ainda registrou outros nove trabalhos e alguns deles foram relançados recentemente, com versão também em DVD e CD.

A destreza com a guitarra baiana não é apreciável apenas para brasileiros. Internacionalmente ele vem se apresentando desde 1983 para platéias lotadas em países como Itália, França, Suíça, entre outros.

Armandinho ainda é o parceiro do luthier Jorge de Itacaranha, com quem desenvolveu, isto em 1994, o primeiro bandolim de dez cordas, antes exclusivo e hoje é instrumento muitíssimo procurado por músicos.

O PROJETO

A partir de 2009, a Série Instrumental passa a se chamar BH Instrumental. A mudança no nome não afeta a essência do projeto, que, realizado nos anos de 1997, 1998 e 2008, pela Veredas Produções, já trouxe a Belo Horizonte um rol extenso de importantes artistas que se dedicam à música instrumental, em shows de altíssima qualidade, com completa infra-estrutura e ingressos acessíveis. Como um dos objetivos do projeto é a formação de público, o BH Instrumental, ao longo do ano, ainda vai oferecer quatro ensaios abertos para estudantes da rede pública municipal e estadual.

BH Instrumental
Armandinho – Bandolim e Guitarra Baiana
Local: Praça Floriano Peixoto, em frente ao 1° Batalhão de Polícia,
Bairro Santa Efigênia
Data: dia 22 de maio - sexta-feira- 20 horas
GRATUITO
Maiores Informações- 3222 5271

Assessoria de Imprensa — BH Instrumental
Artelivre Produção e Comunicação - (31) 9123-8000 – Beth Santos