Vídeo

Galeria

01/12/2013

Domingo no Museu apresentou Lançamento do CD Coladera, de Vitor Santana, João Pires e Marcos Suzano.

Próximos Eventos

1
7
2
4
6
5
3
?1468001446

Domingo no Museu

Leva para o palco do Museu de Arte da Pampulha grandes nomes da música mineira e brasileira, como Paulo César Pinheiro, Sérgio Santos, Vânia Bastos, Teresa Cristina, Fabiana Cozza, Juarez Moreira, entre outros, mesclando MPB, samba e a musica instrumental. O Projeto acontece sempre no primeiro domingo do mês, às 11h00, no auditório do MAP com ingressos a preços populares.

Domingo no Museu apresentou Lançamento do CD Coladera, de Vitor Santana, João Pires e Marcos Suzano. 01/12/2013

102

No dia 1º de dezembro, às 11 horas, o Museu de Arte da Pampulha (MAP) será palco para mais um lançamento no Domingo no Museu, realizado pela Veredas Produções. Desenvolvido pelos músicos João Pires, Marcos Suzano e Vitor Santana, Coladera é o projeto Luso brasileiro que celebra o diálogo entre Brasil e Portugal, baseado em violões, percussões e vozes. 

Coladera vem do ritmo popular cabo-verdiano, originado de ritmos como o fado português e o lundum angolano, com influências do samba, rumba e cumbia. Neste projeto musical, o compositor português João Pires introduz a canção portuguesa, a guitarra ibérica e a vertente africana trazida dos anos em que viveu em Cabo Verde. O mineiro Vitor Santana acrescenta a sua voz e o seu violão popular brasileiro, o som latino e a sua ligação com Cuba. Já o carioca Marcos Suzano soma a essa mistura os batuques africanos, em mais de dez instrumentos de percussão originários de três continentes onde se fala o português. 

No show, o público poderá ouvir o candomblé, o fado, o flamenco, o samba, a rumba e o mambo, em sintonia com um português com sotaques diferentes. O repertório do disco Coladera mantem a personalidade de cada integrante do trio, reflexo da convivência musical entre os músicos. 

As composições nasceram da parceria entre João Pires e Vitor Santana, e foram concluídas com a linguagem rítmica de Suzano. A gravação foi realizada após uma turnê em 2012, praticamente ao vivo, com improvisações e em clima de encontro entre amigos. Das onze faixas gravadas, a maioria inédita, releituras de trabalhos individuais e homenagem a Cesária Evora, célebre personagem do gênero musical cabo-verdiano, a coladera

O projeto Coladera

A ideia de formatar o projeto com essa temática nasceu em 2008, quando Vitor Santana começou a circular por países da América Latina e Europa com a proposta de conhecer artistas da cena independente desses países, com novas formas de produzir, criar e fazer circular a música.

Em Portugal, Vitor conheceu João Pires, compositor e guitarrista. O encontro rendeu mais de 40 músicas compostas nos últimos dois anos. O percussionista Marcos Suzano foi inserido nesse diálogo como elemento essencial para a consolidação das raízes africanas no trabalho desenvolvido pelo trio. 

João Pires

Compositor, guitarrista e produtor musical, com passagens pela música eletrônica, cinema e dança, João Pires nasceu em Lisboa. Além de se dedicar a música popular portuguesa, João agrega ao seu estilo musical as suas experiências pelo mundo. Em seu primeiro álbum solo, “Caminhar”, reuniu músicos e letristas de Lisboa, do Brasil e de Cabo Verde. Paralelamente, João desenvolve trabalhos como instrumentista e produtor musical. O músico já gravou com Suzana Travassos, Ricardo Ribeiro, Graveola e o Lixo Polifônico, Pedro Morais, entre outros.

Marcos Suzano

Natural do Rio de Janeiro, Marcos Suzano desenvolve técnicas próprias de percussão e se tornou referência no país. Em 1993, lançou “Olho de Peixe”, em parceria com Lenine. Tocou com Zizi Possi, Marisa Monte, Gilberto Gil, entre outros artistas. O primeiro trabalho solo do percussionista foi “Sambatown”, lançado em 1996. Marcos Suzano faz parte do grupo Pife Muderno, de Carlos Malta.

Vitor Santana

Vitor Santana é cantor e compositor. Além de atuar no cenário musical, com discos lançados em parceria com Mariana Nunes, “Abra-Palavra”, e CD solo, “Beirute”, em 2010, Vitor também está à frente de projetos socioculturais. O músico é coordenador e idealizador da ONG Contato - Centro de Referência da Juventude, e é diretor de articulação política da SIM, Sociedade Independente da Música, além de membro suplente do colegiado setorial de música do Ministério da Cultura. O mineiro Vitor já gravou com Yazek Manzano, Suzana Travassos, Zao Sisshoko, Neném, Marcos Suzano, Pedro Sá e Zeca Assunção.



A série Domingo no Museu

Tradicional no cenário cultural de Belo Horizonte e do estado, o Projeto Domingo Museu apresenta ao público ícones da música em um dos cartões postais da capital, o Museu de Arte da Pampulha (MAP). Patrocinado pela empresa Tecnocal, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, o projeto já recebeu artistas como Ná Ozzetti, Paulo Belinatti, Juarez Moreira, Trio Madeira Brasil, Henrique Cazes, Paulo Freire, André Mehmari, entre muitos outros. A realização do Domingo no Museu no MAP foi responsável por consolidar o local como um espaço de lazer e cultura para todos os belo-horizontinos.

 

SERVIÇO:

Domingo no Museu Lançamento do CD " Coladera" de Vitor Santana, João Pires e Marcos Suzano.
Local: Museu de Arte da Pampulha (Av. Otacílo Negrão de Lima, 16585)
Data: Dia 01 de DEZEMBRO, às 11 horas
Ingressos à R$10 (inteira) - R$5 (meia-entrada) mediante a apresentação de carteira de estudante e comprovante de boleto de pagamento ou declaração comprobatória de matrícula
Locais de venda: Loja Acústica CD’s (Rua Fernandes Tourinho, 300) – A partir do dia 25/11 e Museu de Arte da Pampulha no dia do evento
Informações: (31) 3277-7996